UMA COZINHA DE IMPROVISO OU INSPIRADA ATÉ MESMO NA NET...

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

CARNE ASSADA _ RECICLAR, RENOVAR, REINVENTAR





Como é hábito, quando vamos de férias para a praia, levamos de casa uma carne assada já pronta, para as primeiras impressões. 

Sobraram umas fatias muito à justa para todos. Que volta dar? Podíamos fazer um arroz ou uma massa __ optei pela massa.


INGREDIENTES:

- A carne assada e o respectivo molho.
- Cebola.
- Alho.
- Coentros.
- Pimento vermelho previamente assado.
- Chouriço ou linguiça.
- Azeite.
- Massa.
- Ovo inteiro.
  



Depois de cortados em pedaços, a cebola, o alho, o pimento, o chouriço e os coentros, foram postos a refogar em azeite previamente aquecido. De seguida, adicionou-se o resto do molho que já vinha com a carne. Deixou-se apurar e acrescentaram-se os pedaços de carne cortada em tiras ou cubos.




A massa é cozida à parte. Num tacho com água, deita-se uma boa quantidade de sal e um pouquinho de óleo alimentar. Quando a água levanta fervura deita-se a massa que vai cozendo enquanto se vai mexendo de vez em quando para ficar mais solta e uniformizar a cozedura. Quando estiver no ponto, passa-se a massa por água fria com a ajuda de um passador, para a massa ficar ainda mais solta. Depois de escorrida é vertida para o tacho onde está o "preparado" feito com a carne. Envolve-se bem com a ajuda de uma espátula e deixa-se apurar um pouquinho mais.
   



Para a apresentação final e para acrescentar um pouco mais de proteínas ao prato acabado de fazer, pica-se um ovo cozido que se dispõe por cima da massa com a carne e enfeita-se a gosto.





Hoje e sempre: 
__ Reciclar, Reciclar, Reciclar... 
__ Reutilizar, Reinventar, Renovar...



(Fotografias tiradas em Agosto de 2012)


domingo, 19 de agosto de 2012

OVOS MEXIDOS - UM JOGO DE CORES E SABORES





Usa-se dizer que "não se fazem omeletes sem ovos". De facto é verdade, mas com ovos podem fazer-se muitas coisas como ovos mexidos. Adoro ovos mexidos macios e, para isso, normalmente, acrescento aos ovos inteiros prontos para bater um pouco de leite ou, quando há, um restinho de natas.

Mas porque não variar?!... Que tal acrescentar-lhes outros ingredientes?!...




Não havia carne nem peixe. Está-se no Verão em que uma refeição mais ligeira vem a calhar. E foi assim que fiz. Para além de dois ovos por pessoa, do leite, da pitada de sal de tempero para saladas, adicionei-lhe outros ingredientes que tinha em casa.

INGREDIENTES:

- Fatias de "bakon" cortado em tiras.
- Milho de lata.
- Pimentos laranja cortados em rodelas.
- Queijo fatiado cortado em tiras finas 





Numa frigideira deitei uma porção de manteiga que deixei derreter e, de seguida, fritei um pouco todos os ingredientes que iria acrescentar aos ovos.




Por fim, adicionei os ovos bem batidos e fui envolvendo tudo com uma espátula de forma a não deixar pegar os ovos ao fundo da frigideira. Quando ficaram na consistência desejada, retirei-os para um prato que decorei com rodelas de tomate e azeitonas pretas. Juntei-lhes também tostas cortadas em triângulos feitas a partir de pão de forma sem côdea que iriam acompanhar os ovos.



 


"O seguro morreu de velho", e se houver quem diga: "Ah, os pimentos... Ah, e o "bakon"..." Então é preferível reservar uma parte dos ovos para os fazer de maneira tradicional... A cada um seu paladar!...



(Fotografias e montagem feitas em Agosto de 2012)


ESPARGUETE DE ACOMPANHAMENTO COM "BAKON" E PIMENTO





Na frigideira, com o óleo quente, deitam-se a cebola e o pimento cortados em rodelas, o alho pisado, o "bakon" em tirinhas e o sal de tempero de carnes (que se encontra à venda nos supermercados). Deixa-se refogar e, finalmente, junta-se o esparguete já previamente cozido. Envolve-se bem.




Para cozer a massa, junta-se à água com sal, um pouco de óleo para a tornar mais macia. Deixa-se levantar fervura. Partindo ou não os "paus" do esparguete junta-se a porção pretendida à água em ebulição. Depois de cozida a gosto, passa-se a massa com a ajuda de um passador, por água fria, por forma a tirar um pouco da goma da massa cozida e deixá-la mais solta. É esta massa que se envolve com o "refogado" quando aquele estiver pronto.



Em vez do esparguete simples que, por vezes, é o que melhor nos sabe, podemos enriquecê-lo um pouco e torná-lo mais diversificado. Para além da cor que dá sempre um aspecto agradável aos pratos, serve em simultâneo como um acompanhamento mais completo do ponto de vista nutritivo.


(Fotografias tiradas em Agosto de 2012)


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

SALADAS DE LEGUMES E FRUTAS EM TEMPO DE VERÃO






É Verão. O calor aperta. As saladas podem acompanhar uma "sandwiche" , um prato quente ou frio, podem até ser o complemento do resto de uma refeição anterior. Trazem-nos para os pratos a frescura dos seus componentes e a alegria das cores de Verão.

Mistura de legumes e de frutos, porque não?!... Tanto uns como outros aceitam os temperos normais ou mais imaginativos de um salada mais vulgar e/ou de saladas de outras alturas do ano em que a oferta de fruta e vegetais não é tão variada.





Frutos secos, (sobretudo amêndoas falhadas), passas, ovos cozidos picados, diversos tipos de ervas aromáticas, produtos que hoje há à venda como cebola "crocante" de vários sabores, quadradinhos de pão tostado.. dão um "toque especial" ao conjunto. Todos os ingredientes cortados mais ou menos finos, cortados em pedaços maiores ou menores ou inteiros, quando misturados podem formar uma variedade de sabores que, bem conjugados, se podem tornar muito agradáveis. Dando, para além disso, o tal "toque" e incutindo uma "certa surpresa" nas saladas que, pelo menos entre nós portugueses, eram  preparadas sempre muito da mesma maneira, sal, vinagre e azeite, alface, pimento, tomate e cebola...  apesar de poderem existir algumas variantes de região para região, Muitas delas interessantes... Ou, por outras palavras, saborosas! 





Mesmo para quem "não saiba cozinhar", nas saladas, há uma certeza __ Saem sempre bem desde que não haja desaires com o excesso de sal, vinagre ou outro tempero. A variedade de ingredientes é uma questão de imaginação, pode depender do aproveitamento de restos que já se têm em casa (um resto de frango desfiado, algum enchido cortado em rodelas finas, carne assada em pequenos pedaços, queijo em cubinhos ou tirinhas, massinhas cozidas, etc) ou , do recheio da despensa (atum enlatado, fruta em calda escorrida...), e ainda da disponibilidade no mercado e da "carteira"... mas não deixa de ser um desafio para sair da rotina. Mesmo que haja alguma "resistência" do "porque não gosto disto ou não gosto daquilo", acaba por ser quase sempre uma aposta ganha __ até porque as cores fazem milagres!...


(Fotografias tiradas em Agosto de 2012)


segunda-feira, 2 de julho de 2012

BIFES DA VAZIA COM PIMENTO VERMELHO E ANANÁS







Temperam-se os bifes com sal específico para tempero de carnes e uns dentes de alho esmagados. Junta-se uma pequena porção de manjericão e parte de um pimento vermelho cortado em tirinhas muito finas.




INGREDIENTES:

- Bifes da vazia
- Sal específico para tempero de carnes
- Dentes de alho
- Manjericão
- Pimento encarnado
- Azeite e/ou margarina
- Ananás em calda




Numa frigideira deita-se um pouco de azeite e margarina que se deixa aquecer. Acrescentam-se as tirinhas do pimento e os dentes de alho esmagados. 

Deixam-se refogar bem as tirinhas de pimento e os alhos esmagados que faziam parte do tempero da carne.






Depois de bem refogados os pimentos, colocam-se os bifes na frigideira que se vão voltando de vez em quando com um garfo para uniformizar a fritura. Pode mesmo ir-se picando a carne para ficar mais tenra, cozinhar mais rápido mas, sobretudo, ir ganhando mais gosto. 




Na etapa final, com ou sem os bifes na frigideira, acrescentam-se uns pedaços de ananás em calda bem escorridos que se deixam fritar juntamente com os pimentos.




Os bifes podem acompanhar-se com puré de batata ou arroz branco






Enfeitei o prato com tomate cortado "em pétala". Como os bifes da vazia eram altos deveriam ter ficado um pouco mais de tempo a ganhar o gosto antes de os começar a fritar. Mas a mistura do sabor do pimento e do ananás fritos é muito agradável.


(Fotos tiradas em Julho 2012)



sexta-feira, 15 de junho de 2012

FRANGO FUGIDO AO CHURRASCO







Tempera-se previamente o frango aberto (como quando preparado para o churrasco).



INGREDIENTES

- Alho pisado
- Sal
- Vinho
- Pimentão
- Piri-piri
- Um pouco de óleo vegetal

 

Deixa-se temperado por algum tempo.


(Imagem da NET)



Na altura de ir ao forno, acrescenta-se:


INGREDIENTES

- Pimento vermelho de preferência
- Chouriço extra (magro)
- Coentros frescos
- Cerveja


- O pimento vermelho em tirinhas fininhas, de preferência.
- Um pouco de chouriço também ele cortado em rodelas finas.
- Uma quantidade abundante de coentros frescos.
- Rega-se com um pouco de cerveja o que se pode voltar a repetir, mais uma ou duas vezes ao longo de toda a assadura, para "fazer" molho.

No forno pré-aquecido, introduz-se a assadeira de barro (de preferência) com o frango e os respectivos temperos. (Será que o facto de ser de barro realmente influencia tanto assim o sabor dos alimentos?!... Pelo menos, fica-se com a sensação de que sim...)

Vai-se picando o frango com um garfo ao mesmo tempo que se vai regando com a ajuda de uma colher utilizando o próprio molho que se vai formando e ganhando textura. O frango deve ser voltado duas ou três vezes para ir cozinhando de uma forma tão uniforme quanto possível. O molho e os pimentos, coentros e chouriço vão sendo depositados sobre o frango até este estar alourado de um e do outro lado.




E está pronto a servir com um arroz, batatas fritas (ou assadas em conjunto com o frango), podendo ser acompanhado também duma salada de tomate e/ou alface e cebola.




Comentário: __"Este frango está muito bom!"
E estava... 






quinta-feira, 14 de junho de 2012

ARROZ BRANCO COM MANJERICÃO E ORÉGÃOS A ACOMPANHAR BIFES COM COENTROS E LINGUIÇA







__ "A Mãe, hoje, vai fazer o jantar."
__ "Ui!... Que medo..."

A ementa?!... Arroz branco com manjericão e orégãos e bifes com coentros e linguiça.
Vamos esperar para ver...

No outro dia, o arroz de manjericão saiu bem. Desta vez, há ligeiras alterações. 




ARROZ BRANCO COM MANJERICÃO E ORÉGÃOS


INGREDIENTES


- Arroz agulha
- Manjericão em folha seca (uma pequena porção)
- Orégãos em folha seca (uma pequena porção)
- Pitada de sal de "tempero especial" (hoje, bastante vulgarizado nos locais de venda de alimentos)
- Dois dentes de alho grandes
- Duas cebolinhas
- Azeite virgem extra.




PREPARAÇÃO


- Pisam-se os dentes de alho e cortam-se as cebolinhas às rodelas.

- Deita-se num tacho ou caçarola uma porção de azeite a cobrir o fundo do tacho ao qual se adiciona um pouco do manjericão e dos orégãos. Deitam-se também o sal já de si temperado, os dentes de alho e as rodelas de cebola.

- Deixa-se alourar um pouco a cebola e o alho, enquanto se lava bem uma caneca de arroz com a ajuda de um passador e com água corrente.




COZINHANDO O ARROZ


- Depois de bem escorrido, junta-se o arroz ao azeite para que possa fritar um pouco.

- Finalmente, deita-se, no tacho, água com aproximadamente o dobro do volume do arroz ( neste caso, duas canequinhas).

- Com uma colher de pau, envolve-se tudo até a água começar a ferver.

- Deixa-se cozinhar em lume brando, com a tampa do tacho ligeiramente levantada.

- Vai-se controlando até se verificar que a água desapareceu quase na totalidade e o arroz está bem cozido ou "al dente" como se preferir.




BIFES FRITOS COM COENTROS E LINGUIÇA


INGREDIENTES


- Carne tenra
- Sal para temperos de carnes
- Coentros frescos
- Azeite extra virgem
- Vinho de tempero para cozinha (de preferência branco)
- Uma cebola pequena
- Linguiça




FRITANDO OS BIFES


- Depois de limpa a carne, pica-se com a ponta de uma faca ( ou bate-se com o martelo próprio) para que fique mais tenra e absorva melhor os sabores.

- Por um tempo, deixa-se a carne ganhar gosto com o sal, os coentros e o vinho.

- Deita-se o azeite no fundo da frigideira e acrescenta-se-lhe os coentros, a linguiça cortada em tiras e a cebola às rodelas. Deixa-se fritar um pouco e acrescentam-se os bifes, voltando-os de um lado e de outro até estarem fritos a gosto.





Afinal, não foi assim tão mau!...




(Desenho retirado da NET)


OBSERVAÇÕES:

- o arroz ficou saboroso e fugiu um pouco ao tradicional arroz cozido em água a ferver à qual se adiciona um golozinho de azeite ou óleo vegetal, o sal, um dente de alho esmagado e um raminho de salsa fresca (se a houver) ou uma pitada de salsa liofilizada ou congelada para a substituir.

- Não abusar da quantidade de ervas aromáticas a juntar ao arroz. Pode haver quem não aprecie o sabor tão intenso.

- Aos bifes, os coentros frescos e as tirinhas de linguiça, deram-lhes um gosto mais forte e apaladado.
.
- No final, para "fazer o prato", pode acrescentar-se um pouco de cebola "crocante" ou batatas fritas de pacote o que o compõe e lhe dá mais um toque...
.
.
 (Cozinhado, fotos e montagens - Junho 2012)



quinta-feira, 24 de maio de 2012

CATAPLANA DE CAMARÃO E AMEIJOAS CONGELADAS








Se quisermos fazer um miminho lá em casa num dia festivo ou de fim-de-semana, porque não recorrer a um prato saboroso e fácil de confeccionar?!... __ a CATAPLANA. 

A cataplana é o nome de um prato e de um recipiente tipicamente algarvio particularmente usado nas zonas mais litorais do Algarve onde a abundância e qualidade do peixe e do marisco fresco é maior.

O truque está na qualidade dos ingredientes utilizados. Mas, pelo preço e pela pouca disponibilidade junto de nós, (quando isso acontece) , podemos sempre recorrer a produtos congelados. Embora o resultado final não seja o mesmo. Ainda assim, vale a pena tentar!...




A cataplana característicamente em cobre ou latão, também é hoje fabricada em alumínio e está disponível em alguns super-mercados, devendo ser utilizada preferencialmente em fogão a gás.

Normalmente, os alimentos  __ geralmente, mariscos com outros ingredientes como carne de porco, cebola, pimentos e vários temperos e vegetais __ são colocados dentro do recipiente ( a cataplana ) e deixados a cozinhar com ela fechada em lume brando.

Desta vez, não tinha carne de porco. Só tinha camarão e ameijoas congeladas. Mas avancei para este prato que pode ser tão colorido.

Comecei pelo azeite (extra), pelo sal de algas ( hoje, tão em voga nos super-mercados ) e uma malagueta ( piri-piri).








Cortei os legumes em tirinhas ou pedaços __ cebola; tomate; pimentos (amarelos, verdes e vermelhos, para dar um toque de côr).

Esmaguei três dentes de alho grandes; acrescentei  um raminho de coentros.

Coloquei tudo dentro da cataplana que pus ao lume e deixei alourar um pouquinho ( não sei se é a maneira correcta de proceder. Porque, em princípio, deveria ser tudo colocado em crú. Mas, esta cataplana, foi um pouco à Malay )





Pouco depois acrescentei o chouriço, um pouquinho de linguiça e "bacon" cortados em rodelas e tiras. Salteei por uns momentos, envolvendo tudo com uma espátula.




Depois foi acrescentar o miolo de camarão que deixei ganhar um pouco de côr, a seguir as ameijoas e, finalmente, os camarões com casca. Então sim. Procedi à verdadeira maneira algarvia: fechei a cataplana com as duas pinças laterais e, em lume brando fui deixando cozinhar, agitando o conteúdo de vez em quando. Só que fui espreitando uma vez por outra para ver a evolução... É no que dá a inexperiência!...





De facto, já comemos cataplanas mais gostosas, no Algarve e não só. As ameijoas e os camarões têm um sabor a mar mais intenso já que são frescos e as ameijoas não vieram congeladas da Tailândia. Mas devo dizer que não ficou mal. Molhar um bom pão no molho que se forma é de fazer lamber os dedos... Até porque alguns dos camarões têm mesmo que ser descascados. Mas descascá-los de faca e garfo, como manda a etiqueta, tira-lhes uma parte do sabor... Confesso... prefiro sentir o molhinho a escorrer pelos dedos e ter que ter um guardanapo extra para ir limpando as mãos.


(Cozinhado, fotos e montagens, Maio / 2012)


quarta-feira, 16 de maio de 2012

PANADINHOS DE PERÚ DISFARÇADOS







Os tempos são de crise e, ainda que o não fossem, podemos e devemos "reciclar" o que perdeu a graça ou é repetitivo por ter sobrado de outras refeições, sempre que tal nos for possível.

Foi o que aconteceu. Aqueles panadinhos de perú já não estavam estaladiços. A sua carapaça com pão ralado estava mole e desengraçada. Já eram de três dias atrás.

Se tivermos alguns condimentos guardados para ajudar aos "disfarces", se olharmos o que temos no frigorífico e na despensa na altura, podemos "maquilhar" os alimentos para que voltem a ficar gostosos e com uma nova apresentação.



                                                         




E, desta vez, foi assim:
Deitei uma golfada de azeite numa frigideira.
Piquei um resto de tomate e de cebola não temperados
que tinham sobrado da salada.
Esmaguei três dentes de alho.
Cortei um raminho de salsa em pedacinhos.
Deitei tudo sobre o azeite aquecido e deixei alourar.
Adicionei um pitadinha de sal e meio gindungo.






Sobre a "cama" formada pelos ingredientes alourados, coloquei os bifinhos de perú mantendo o pão ralado e deitando por cima de cada um deles um pouco do tomate pelado (de conserva) aos pedaços e com manjericão e oregãos. Deixei aquecer durante uns instantes e voltei-os ao contrário deixando-os estar até me parecer estarem no ponto.






 
"Et voilá"!... Um novo prato. Bonito e, pelo que parece, gostoso... Acreditem que o manjericão e os oregãos dão sempre um toque especial!...


(Fotos tiradas 8 de Maio)